Amar os Pais: Uma fonte de Riqueza

A arte de amar os pais: três práticas infalíveis

Amar os Pais: Uma fonte de Riqueza

Lá pelos meus dez ou onze anos, sempre que tinha algum comportamento inadequado, que entristecesse ou contrariasse meus pais, meu pai me dizia:
– Dê as flores em vida…
Eu detestava quando ele dizia isso, sentia desconforto. Aquela frase me fazia lembrar que a vida é passageira e eu não gostava nenhum pouco de pensar nisso. Mas os anos foram me transformando e à medida que eu crescia, compreendia melhor essa frase de meu pai. E comecei a distribuir as flores.

GRATIDÃO, um presente que não tem preço

Pensando em nossos pais, queremos oferecer à eles o melhor que temos. Compramos presentes nas datas comemorativas, como dia dos pais e dia das mães, no aniversário deles; pensamos na saúde, nas necessidades que eles têm na dimensão emocional e física. Queremos o melhor para ofertar àqueles que cuidaram de nós, que nos protegeram, nos orientaram e nos ensinaram a dar os primeiros passos em nossa nova reencarnação.

No capítulo XIV do livro Evangelho Segundo o Espiritismo, aprendemos sobre a amplitude do que é honrar pai e mãe: gratidão, cuidado e respeito, sobretudo com os mais idosos.

A gratidão é um sentimento profundo, e nutri-la em relação aos nossos pais é fazer um exercício de voltar no tempo e relembrar cada gesto, cada cuidado, cada necessidade suprida que nossos pais nos proporcionaram. Quando fazemos esse exercício no silêncio interior, com total sinceridade, observamos em nossa memória quantas coisas boas nossos pais fizeram por nós. E esse sentimento intenso de gratidão nos faz sentir quase uma reverência pela dedicação deles. Conseguimos, então, valorizá-los adequadamente, brotando um profundo respeito pelo que eles já realizaram.

Mas, surge uma pergunta: e quando os pais descuidaram de seus deveres para com os seus filhos?

Conheça os livros mais vendidos da Vivaluz Editora

PERDÃO, a chave para deixar o amor fluir

Temos o livre arbítrio e podemos escolher o que vamos valorizar na relação com nossos pais. Sabemos que a reencarnação em determinada família, tendo os pais que temos, não é uma coincidência, e sim uma providência. Em cada nova encarnação, como parte de nosso processo de aprendizagem para o crescimento espiritual, Deus nos dá o que precisamos, e nossas experiências serão sempre o resultado daquilo que semeamos.

Compreendendo essa verdade universal de causa e efeito, podemos perdoar nossos pais pelas falhas que cometeram. Quando escolhemos perdoar, nos libertamos dos traumas que eventualmente nossos pais nos causaram e os libertamos também, pelas falhas que eles cometeram. Quando aprendemos a perdoar, podemos deixar o amor fluir através de nós de forma mais limpa, verdadeira e intensa. E o amor nos cura, cura as relações, e prepara um futuro melhor para todos os envolvidos. Somos seres imperfeitos, com limitações e inúmeras questões a serem resolvidas. Por isso estamos na Terra. Se quisermos dar o melhor para nossos pais, oferecendo flores em vida, precisamos honestamente, com todo o nosso coração, perdoar nossos pais.

Expressando o RESPEITO

A arte de amar os pais: três práticas infalíveis

Quando a gratidão nos preenche e exercitamos o perdão, o respeito por nossos pais surge naturalmente. E vamos buscando modos de expressar esses sentimentos, de honrá-los. Não é raro depararmos com a teimosia deles, mesmo quando queremos ajuda-los. Então chega o momento de exercitar a paciência, tal qual eles fizeram por nós. E encontramos modos impensáveis de apoia-los, afinal, o que importa é vê-los felizes, saudáveis e em paz.

Ressaltamos a seguir alguns aspectos que podem contribuir para que seus pais tenham uma vida mais feliz e completa.

Bem-estar físico e emocional

A cura pela natureza é não somente remédio para doenças instaladas, como prevenção para outras. Desse modo o uso da homeopatia, de florais e de fitoterapia pode ser de grande apoio.

Os medos estão por traz de grande parte da ansiedade e angustia que todos nós sentimos. Com a idade avançada, muitas vezes o medo da morte se torna mais presente. Uma maneira eficaz de lidarmos com os medos, especialmente o da morte, é nos concentrarmos em viver o momento presente, viver o agora, estar fortemente conectado com o presente. Na verdade, o agora é o único momento que realmente existe pois sabemos que o passado já foi e o futuro está sendo criado agora.

Não raro escutamos as pessoas mais velhas dizerem: “na minha época, acontecia isso e isso” “na minha época o namoro era assim e assado.” Mas, qual é a época de nossa avó? Se ela estiver viva, esta época também é a época dela, só que vivida na fase da idade mais avançada. Nossa época é hoje, agora, de todos nós. Estamos encarnados neste planeta, fazemos parte dele e de tudo o que importa nele agora.

Cuidados com o espírito imortal

Muitos dizem que temos um espírito, mas o espiritismo nos ensina que somos espíritos em um corpo material, denso. Nosso espírito é o nosso verdadeiro eu, nossa essência, que existia antes de encarnarmos e continuará existindo depois de nossa morte. Cuidar de nosso espírito é cuidar verdadeiramente de nós. Já que estamos na Terra para aprender, buscar viver novas experiências é fundamental para que nos sintamos vivos. À medida que envelhecemos, torna-se ainda mais importante cultivar esse apreço pelo novo, já que nossa tendência é nos apegarmos a tudo o que já conhecemos, e isso vai nos enrijecendo, nos cristalizando. E se nossa mente fica rígida, nosso corpo seguirá pelo mesmo caminho já que o espírito é quem comanda a matéria e não o inverso.

Leituras edificantes são sempre uma ótima fonte de alimento para o espírito, em especial os livros espíritas, que trazem perfectivas positivas para o futuro, alimentando a esperança, o otimismo, conferindo mais paz e alegria.

Livros que proporcionem ampliação da consciência, alegria e experiências elevadas. Conheça a história de perdão entre um pai e um filho no livro CINZAS DO PASSADO.

Para alimentar nossas emoções e nos inspirar na gratidão e carinho pelos nossos pais, seguem algumas sugestões de vídeos par ver e compartilhar. Se você ainda não viu, vale conferir:

Video pai e filho “O que é aquilo”

Vídeo “Meu pai está mentindo”

Qual é sua experiência com a fase atual de seus pais? Compartilhe conosco.

amar

Comentários

comentários

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>